Aromas

aromasReconhecer os aromas do vinho é fundamental para uma boa degustação. É tudo questão de treino.

Não se intimide ao ver aquele seu amigo que reconhece “aromas de grama levemente molhada” ou então “sândalo”, pois você consegue também.

Uma boa dica é frequentar as feiras e mercados e cheirar (isso mesmo, pegue as frutas e cheire), pra ir se acostumando com os aromas.

 Abaixo apresentamos alguns dos principais aromas e uma definição dos primários, secundários e terciários.

 

Os compostos aromáticos são divididos em três grupos:  

 

Primário (ou varietal) – vem da própria uva e lembra frutas frescas e maduras, flores, vegetais e minerais.

Secundário – resultado do processo de fermentação, vinificação, não são originários da uva, são aromas de madeira, leveduras.

Terciário (ou bouquet) – é a sensação olfativa que o vinho desenvolve depois de engarrafado e envelhecido por vários anos.

 

Os aromas

Frutados – Cassis, cerejas, ameixas, goiaba, framboesa, groselha (vermelhas, nos vinhos tintos); pêssegos, abacaxi, maracujá, melão, pêssego (brancas e amarelas, nos vinhos brancos).

Florais – Rosas, violetas, jasmins, acácias, tília, etc.

Especiarias e condimentados – Pimenta, pimenta-do-reino, cravo, canela, alcaçuz, noz-moscada, etc.

Animais – Caça, carne, pelo molhado, couro, etc.

Vegetais e herbáceos – Palha, grama, feno, cana-de-açúcar, cogumelos, chá, fumo, pimentão, etc.

Minerais – Petróleo, terra, pedra de isqueiro, etc.

Químicos – Fermento de pão, enxofre, removedor de esmalte, etc.

Queimados (ou empireumáticos) – Alcatrão, tostado, defumado, caramelo, café torrado, piche, etc

Amadeirado – Carvalho, baunilha, cedro, eucalipto, etc

Outros aromas– chocolate, mel, caixa de charutos, suor, xixi de gato etc

 

Os aromas mais comuns nos vinhos brancos
(Advertência: você não encontrará TODOS os aromas nesses vinhos, mas dá pra ter uma idéia…)

Sauvignon blanc – frutas frescas, cítricas, pêssego, manjericão, tomilho, pimentão verde, eucalipto, hortelã, maracujá, pedra de isqueiro (fumé) e xixi de gato no Loire.  Toques agradáveis herbáceos e vegetais (grama), dependendo do vinicultor.

Chardonnay – sem madeira é mais mineral, frutos brancos como pera,  melão branco, cítrico e frutas tropicais como o abacaxi, mamão, goiaba e banana Depois de estágio em barrica, doce de pêssego, manteiga, torrada, brioche, avelã e evoluído perfumes de acácia.

Riesling – cítricos como lima, lichia, tangerina e notas de petróleo, resina, quando evoluído 

Chenin blanc – maças verdes, damascos, mel, nozes e avelãs. 

Viognier – violeta e banana, se muito intenso damasco. 

Gewurztraminer – tem uma fragrância fascinante,  lichia, pétala de rosa, damasco, pera e uma especiaria parecida com cravo-da-índia (gewurz é especiaria, em alemão).

Moscatel – aromas doces da própria uva, o que é raro em varietais.

Sémillon – cítricos, grama, mel e torradas.

Os aromas mais encontrados nos vinhos tintos

Cabernet sauvignon – frutas vermelhas e especiarias como baunilha, alcaçuz; pimentão em conversa. Evoluído passa para as trufas negras, frutas vermelhas em compota, café, chocolate geléia e tabaco. No Chile tem uma característica mais amentolada e às vezes uma goiaba pronunciada.

Merlot – frutas vermelhas escuras (amoras e ameixas pretas), chocolate se passar por madeira

Pinot noir – cereja vermelha ou preta, ameixa, amora silvestre, framboesa, rosas secas e pimenta-do-reino quando jovem e cogumelo, bosque e geleia e alguma torrefação quando evoluído

Syrah – azeitona preta, pimenta-do-reino, amora preta, cereja preta, ameixa, pimenta do reino, cravo e canela, violetas, chocolate amargo, alcatrão e alcaçuz.

Grenache – geléia, ameixa, frutas vermelhas, louro, na maturidade especiarias e ervas secas. 

Gammay – morango, framboesa.

Nebiollo – groselha preta e amora silvestre, toques florais de violeta e pétalas de rosa, ameixas secas, trufas brancas, especiarias, couro, cogumelos, terra molhada, adega úmida (aqui só para entendidos…).

Malbec – aromas típicos de frutas pretas, cereja madura, anis, frutas vermelhas, floral puxado para a violeta

Tempranillo – frutados vermelhos simples – morango, cereja ou framboesa. Nos exemplares envelhecidos, os mais comuns, notam-se aromas de figo, de geleias de frutas e envolventes traços de torrefação e muita madeira.

Sangiovese – cereja amarga, especiarias, tabaco e ervas.
 

Algumas dicas de onde estão os aromas para começar a treinar

Nos brancos: flores brancas e amarelas ou frutas brancas e amarelas: maça, pera, abacaxi, pêssego, maracujá, lírio, jasmim etc.

Nos tintos: flores ou frutas vermelhas. Rosa violeta, morango, cereja, framboesa, amora, groselha, cassis.

Vinhos jovens: flores e frutas frescas ou vegetais que evoluem com o envelhecimento para os aromas de frutas maduras, secas ou geleia.

Vinhos mais envelhecidos: aromas animais ou de decomposição.

 

O envelhecimento em barricas de carvalho também agregam aromas ao vinho. São eles:

Barrica Européia (francesa) – coco, nozes, cravo, pimenta preta.

Barrica Americana – baunilha, noz-moscada, castanha, coco, cedro, frutas secas.

 

Tipo de tostagem

Leve – mel, chocolate branco, serragem.

Média – amêndoas tostadas, caramelo, chocolate. Tabaco, café expresso e tostado.

Forte – fumo, pão tostado, grafite, chocolate preto, fumo.

 

Obs: as informações foram retiradas de publicações conceituadas e compiladas aqui para melhor compreensão.