Você tem dúvida sobre a rolha de cortiça?

cork_header

O tema “rolha de cortiça” é algo bastante discutido pelos amantes dos vinhos. Há quem não abra mão de vinhos fechados com ela e há aqueles que militam pela causa das árvores que são descascadas e preferem rolhas sintéticas, de vidro ou de alumínio.

Eu me lembro quando eu comecei a estudar vinhos e em uma das aulas, dada pelo Arthur Azevedo, ele indicou um livro chamado “To cork or not to cork”. O livro, original em inglês e ainda sem tradução para o Brasil, fala obviamente sobre rolhas e sobre os benefícios e diferenças entre todas elas.

tocork_bookSe você quiser ler o livro, vale a pena pois é muito interessante e imparcial, mostrando o que cada tipo de vedação tem de qualidades e defeitos. E o que mais me chamou a atenção foi a cortiça. Alguns fatos me marcaram, como:

– a cortiça vem da casca do sobreiro, uma árvore que é plantada em sua grande maioria em Portugal. Não mata-se a árvore, mas retira-se somente a sua casca, que cresce depois e só é descascada novamente 9 anos depois;

– As árvores de sobreiro, depois de darem todas as suas safras de cortiça, não são arrancadas e substituídas. Elas vivem na terra até morrerem naturalmente.

– A vedação da rolha tem uma engenharia natural tão complexa que até hoje não se conseguiu nada parecido sinteticamente, mesmo com toda a tecnologia que temos hoje.

E por último, o que o livro comentava e que eu pude comprovar vendo o material que recebi do pessoal da APCOR – Associação Portuguesa de Cortiça, é que a qualidade do tratamento da cortiça vem melhorando MUITO nos últimos anos. É claro que é possível encontrar fungos nas rolhas, mas a incidência é tão baixa hoje em dia, que é praticamente desprezível percentualmente.

Por essas eu já estava convencido da rolha de cortiça, até que fui impactado por outro argumento que para mim foi matador: em tempos de sustentabilidade, a cortiça é a mais ecológica. Como eu disse, não há nenhum desmatamento, gera empregos e praticamente não gera resíduos na sua produção, além de se poder usar a cortiça para outros fins, reciclando as rolhas usadas para fazer quadros, móveis e uma infinidade de outros materiais e objetos.

Se você ainda não estava convencido de que a rolha de cortiça é uma boa, espero que esses argumentos ajudem. E se faltar algo ou se interessar pelo tema, dê uma olhada no site da APCOR. Lá tem muita coisa interessante.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Daniel, confesso que ainda tenho um “preconceito” com rolhas sintéticas, screw cap e afins. Para mim, a rolha de cortiça é a cereja do bolo, é um grande charme do vinho, é insubstituível. Com esse seu post, só confirmo minhas impressões! Obrigada :)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>