[Vinhos Verdes] Quinta da Lixa

A Quinta da Lixa foi a primeira vinícola que eu visitei quando estive na Região dos Vinhos Verdes. Tinha provado alguns vinhos deles no evento da Prazeres da Mesa, em Novembro, mas como não tinha muito tempo, não pude dar muita atenção.

Fiquei contente de ter ido lá e conhecido, pois os caras têm coisas bem legais sendo feitas. A Quinta da Lixa é uma vinícola de porte médio/grande e está ampliando a sua capacidade de produção. O que mais me chamou a atenção neles foi a versatilidade e a forma descontraída como tratam os vinhos, como o “Aroma das Castas” que tem esse nome porque tem realmente os aromas típicos das castas bem marcados e se alguém ficar em dúvida, pode ver no rótulo, que tem flores frutas para ajudar na definição. Outro bem interessante é o “Alvarinho Pouco Comum” que tem esse nome justamente por não ser tão típico, tendo alguma passagem por madeira, garrafa diferente e outras coisas. Há até Touriga Nacional por lá, que claro, não se compara às regiões que são especialistas nessa casta, como o Douro por exemplo, mas que me pareceu legal eles procurarem inovar.

Abaixo estão os vinhos que provei por lá:

 

Quinta da Lixa Espumante Bruto
Feito com Arinto e Avesso
Fresco e leve, fácil de beber. Boa acidez. Final agradável.

Quinta da Lixa Colheita 2011
Loureiro, Trajadura, Alvarinho.
Maçã Verde, cítrico, tuti-frutti, boca aparece um pouco amargo, final médio/rápido.

Terras do Minho 2011
Já está no Brasil (Supermercado Zona Sul).
Loureiro, Trajadura e Arinto.
Perde a complexidade do Alvarinho e ganha acidez e elegância vinda do Arinto.Toques mais doces, na boca tem um pouco mais de corpo, final médio,

Alvarinho Pouco Comum
Queriam fazer algo diferente. Até a garrafa é diferente (bordalesa). Aromas de frutas brancas com leve toque lácteo, e de amendoim. Na boca é bem diferente, com menos acidez e um final bem interessante.

Aromas das Castas 2011
Alvarinho e Trajadura
A idéia do vinho era retratar exatamente os aromas das castas. Pêra, damasco e flor de laranjeira. Na boca, apesar de ser um pouco ácido, percebe-se a fruta.

Anjos de Portugal 2011
Arinto, Trajadura e Loureiro.
Aromas e sabores mais adocicados, mais gás (bolhinhas).

Touriga Nacional Rosé 2011
Bastante diferente, pois a casta, apesar de existir na região, tem poucas casas fazendo. Toda a produção vai para o rosé e ainda não tem pretensão de fazer um tinto.
Cereja na cor. Cereja no aroma também, bastante acidez na boca. Funciona bem com comida japonesa.

Anjos de Portugal Rosé 2011
Touriga Nacional e Espadeiro.
Tem a presença do gás e os aromas são bem típicos de um rosé,com frutas vermelhas leves. Na boca é adocicado e a acidez não incomoda.

Quinta da Lixa Tinto 2011
Feito com a uva Vinhão. Aromas bem marcados e com boa acidez, mas não me impressionou muito.

Se for à Quinta da Lixa, não deixe de provar principalmente os “diferentes”, que inclusive só vendem lá, pelo menos por enquanto.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>