Viña Tarapacá investe em sutentabilidade

Os vinhos da Tarapacá são bem conhecidos aqui no Brasil, pois são facilmente encontrados nos supermercados. O que não conhecemos muito bem é o tamanho da vinícola. É gigante! Faz parte de um grupo chamado VSPT (Viña San Pedro de Tarapacá), que é formado por 8 vinícolas do Chile e Argentina. São 2600 hectares de terreno e 605 de vinhedos. Deu pra perceber o tamanho?

Para a Viña Tarapacá, o Brasil é o principal mercado e isso também explica o tanto de vinhos deles que encontramos por aqui. Eu conhecia só os vinhos básicos deles, mas pude provar vários outros. Só não provei o Tara Pakay, que é o vinho top e que terá seu lançamento da nova safra no Brasil em outubro. Para colher as uvas para esse vinho, o pessoal usa só mulheres, pois elas são mais delicadas com as uvas e tratam melhor o que será futuramente um belo vinho.

Os vinhos que eu provei foram esses:

Gran Reserva Sauvignon Blanc 2011
Muita acidez, aromas característicos, leve frisante. Bom para quem gosta de acidez. Não tem um aroma tão forte, o que ajuda a beber.
R$ 65,00

Gran Reserva Chardonnay 2011
65% fermentado em barrica. Aromas de fruta branca, manteiga. Não encantou, mas pode ser uma boa alternativa aos Chardonnays com aquele aroma forte de tostado.
R$ 65,00

Terroir El Rosal Pinot Noir 2011
Rosé com cor cereja, aromas leves de frutas. Na boca é leve e tem um pouco de taninos. 3 meses de garrafa. Anda não apresentou o que deveria.
R$ 40,00

Gran Reserva Syrah 2010
Pimentos, álcool aparece um pouco, mas não incomoda. Fácil de beber, tem um tanino que pega um pouco. Sua boa acidez faz com que a gente queira beber mais. Um bom vinho, que pode agradar quem gosta de Syrah leve.
R$ 65,00

Gran Reserva Merlot 2010
Foi um dos que mais me chamou a atenção. Produção vai praticamente toda para o Brasil. Leve doce, baunilha, chocolate. Bom na boca, redondo e de fácil entendimento. Final tranquilo.
R$ 65,00

Gran Reserva Carmenere 2010
Mais adocicado. Toque de grafite e um pouco adocicado, leve na boca, mas tem corpo. Não tem barrica. Esse não me encantou.
R$ 65,00

Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2010
Um vinho bom, bem correto e que representa bem a Cabernet Sauvignon do Chile. Nada mais e nada menos.
R$ 65,00

Gran Reserve Etiqueta Negra 2010
Um grande best seller no Brasil. Aparece mais a Madeira mas também tem mais acidez. Mais corpo. Um ótimo Cabernet Sauvignon do Chile. Tem 15% Cabernet Franc.
R$ 100,00

Zavala 2008
Recebe as uvas que não vão para o Tarapa Kay
41% Cabernet Franc, 31% Cabernet Sauvignon, 28% Syrah.
Complexo, com varias frutas vermelhas, toques mentolados, leve doce, lácteo, álcool aparece um pouco. Bom vinho, que mostra o potencial da vinícola.
R$ 150,00

Achei interessante o programa de sustentabilidade deles, que já conseguiu excelentes resultados, como reduzir em quantidades enormes a água utilizada para a produção do vinho, fazendo o reuso. Há várias outras iniciativas por lá, que valem a pena serem vistas. O site que mostra tudo isso é o www.be360.cl.

Os vinhos da Viña Tarapacá são importados pela Épice no Brasil.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>