Viña Requingua – vinhos chilenos para todos os gostos e bolsos

requingua_header

Eu vou a vários eventos de vinhos e muitas vezes são marcas conhecidas. É sempre legal provar (ou provar novamente) aqueles que já conhecemos para relembrar, mas às vezes é interessante quando não sabemos nada do vinho. E foi isso que aconteceu quando me convidaram para conhecer os vinhos da Viña Requingua, lá do Chile (Valle Central – Colchagua, Curicó e Maule). E eu fui, feliz e contente, achando que seria uma grande novidade para o mercado. Foi só chegar e conversar com alguns e percebi que (para a minha felicidade) eu não sei muita coisa mesmo, pois esse vinho já estava por aqui há algum tempo e inclusive o Potro de Piedra é um que tem muitos fãs.

Então se você também é um dos que já conhece a vinícola, me desculpe. Eu que estou atrasado. Mas de qualquer forma, só como apanhado geral, o que vale a pensa saber é que esses caras têm um enólogo francês gente boa, daqueles que gostam mesmo é de conversar, de comer bem e claro, de beber. Nada de ficar falando muito técnico, de tempo de barrica, de tostagem, etc. Ele quer saber se gostamos ou não do vinho e pronto. Esse é dos meus.

E eu provei alguns dos vinhos deles (falo abaixo sobre três tintos) e para a minha alegria, gostei do mais barato. O mais caro, o Laku, ainda estava muito fechado e novo, então vamos dar um desconto. Os vinhos da Viña Requingua são importados pela Nor-Impor (que eu também não conhecia. Aliás, acho que estou em outro mundo…) e os preços você pode ver também aí embaixo.

San Simon 2009
Cabernet Sauvignon / Cabernet Franc
R$ 89
Toques defumados e só um pouco doces, sem enjoar, mas bem potentes. Na boca parece um pouco jovem e rústico, com taninos bem jovens e um pouco quente, mas com comida vai bem. Depois de um tempo na taça ele ficou mais macio e bem agradável, principalmente com carnes leves como fraldinha.

Potro de Piedra 2010
Cabernet Sauvignon / Cabernet Franc
R$ 107
Mais redondo no nariz e na boca, é daqueles que a gente não tem o que encontrar de defeito, mas na hora de harmonizar que eu achei que ele seria mais gastronômico e não foi tanto como eu imaginava. Talvez carne de churrasco não seja a grande pegada dele.

Laku
R$ 335
Esse é o vinho top e a história dele é interessante. O enólogo e o dono da vinícola fizeram uma degustação às cegas de todas as barricas, sem saber o que tinha dentro. Selecionaram as 7 melhores e fizeram o blend. O resultado só é revelado na rolha, mas ao abrir o vinho. O desse Laku eu já adianto pra você aqui, mas os próximos provavelmente só comprando uma garrafa e abrindo para saber o que tem dentro.

laku_rolha

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>