Verona, charme e bons vinhos no Norte da Itália

Escrever sobre um lugar quando você está nele é muito mais gratificante, principalmente quando é a Itália. Aqui é o país das paixões, do design, da comida boa e claro, dos bons vinhos.

Vim pra cá para visitar a região de Valpolicella e Prosecco, convidado pelo meu amigo Rogério D’Ävila, da Ravin. Cheguei em Verona e fui direto para o Hotel Bologna, que fica bem no centro da cidade, no meio da bagunça e que já deixa a gente, mesmo depois de um dia muito cansativo, muito animado. Sente só o clima da cidade nas fotos no final.

É em Verona que fica a casa da Julieta (do Romeu e Julieta). É praticamente obrigatório passar na casa da Julieta, ver e tocar a estátua e eu não poderia deixar de fazer isso, afinal de contas, dizem que traz sorte no amor (e sorte no amor nunca é demais).

É daqui que saem os Valpolicella Classico e Superiore, Ripasso, Reciotos e os famosos Amarones. Provei vários aqui. Gostei de muitos que provei e fiquei mais impressionado com os Ripassos, que são “baby Amarone”. Para ser Ripasso é preciso passar o vinho base pelas cascas do Amarone, o que traz estrutura, sabor e aromas bem interessantes. Falarei mais sobre alguns Ripassos que eu provei em breve.

Depois de um seminário bem interessante sobre a região de Valpolicella, fomos passear pela região, que é linda. Visitamos algumas igrejas que foram construídas, por exemplo, no século XI e têm afrescos ainda originais. História pura que deve ser consumida sem moderação.

Além dos grandes vinhos, outro ponto imperdível em Verona (e na Itália de uma forma geral) é a comida. Risotos muito saborosos, carnes no ponto e queijos deliciosos. Para se esbaldar de verdade.

Para quem busca um passeio romântico regado a comida e vinho bons, Verona é a recomendação. Tenho certeza que não vai se arrepender. E depois estiquer para Treviso e Veneza. Essas também são para se apaixonar. Gostou? Vem pra cá!

Um abraço

Daniel Perches

 

You Might Also Like

5 Comentários

  1. 1

    A Itália vale sempre a pena, ainda mais nessa condição de poder ver muitos vinhos, e belas paisagens.A comida nem se fala.Enjoy it!!!

  2. 2

    Uma curiosidade.
    Como pode alguém que escreve sobre vinhos viajar a convite de importadores?
    Se fosse algum ministro de estado viajando a convite de empresa voce falaria mal dele, né?
    Isso não é ético no Jornalismo.
    O sr éjornalista ou curioso?
    Abs
    Gilberto

  3. 3
  4. 4

    Gilberto, eu não sou jornalista de formação não. Sou publicitário e escrevo sobre vinhos ja há algum tempo. Fiz alguns cursos (inclusive de Sommelier) e estudo constantemente.
    Eu fui indicado pela importadora Ravin para visitar a região, mas o convite veio na verdade do Consorzio de Valpolicella e Prosecco. Durante toda a viagem não provei nenhum vinho da importadora Ravin, mas mesmo que provasse e não gostasse, falaria exatamente a minha impressão.
    Não vendo posts e as opiniões são sempre as verdadeiras.
    Entendo a sua preocupação, mas garanto que no meu blog encontrará sempre a minha opinião independente. Negociação comercial no meu blog é só com publicidade, sempre em respeito aos leitores.

    Abraços
    Daniel

  5. 5

    Marcelo, não encaro isso como uma compra. O que eu vendo no meu blog é publicidade, que inclusive o Rogério não compra.
    Minhas opiniões sempre foram e sempre serão independentes. Pagar, só para colocar banner.

    Abraços

    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>