Terrunyo – o queridinho da Concha Y Toro

Já comentei aqui sobre a minha recente visita à Concha Y Toro, onde pude beber uma vertical do vinho Carmin de Peumo. o vinho é um dos tops da vinícola e é feito basicamente de Carmenere. Caro, mas muito bom!

Na mesma visita, antes dessa vertical do Carmin, provamos vários vinhos da linha Terrunyo, que me agradaram muito. São vinhos para se prestar a atenção e o que me pareceu é que são “queridinhos” da Concha Y Toro. Vale conhecer.

Segundo o enólogo, o Terrunyo é como um grande avião, que demora para subir, mas depois quando chega a velocidade de cruzeiro, fica super bem. Pareceu uma boa analogia. São vinhos que precisam de decantação e que depois de umas 2 horas ficam fantásticos! Veja os que eu provei.

Terrunyo Sauvignon Blanc 2011 Block
Feito com Clones de Sancerre, da França.
Tem potência mas ao mesmo tempo é elegante. Boa acidez. Leve vegetal no nariz. no primeiro ataque é bem ácido, mas depois fica muito bem na boca. Mineralidade e frescor. Abre com o tempo e fica ainda melhor.

 

Terrunyo Sauvignon Blanc 2011 Block 9 (só 2000 garrafas)

Anda um pouco herbáceo, mas é mais aromático e mais elegante. Leve salino e leve doce na boca, no final.  Esse eu acho que não vem para o Brasil. Tem que comprar na Vinícola.

Terrunyo Carmenere 2008
As uvas são plantadas em Peumo. O lugar é bom para Carmenere porque tem um clima mais constante e a Carmenere precisa de vida longa na vinha.
Esse vinho tem vegetal, mas é bem pouco. Notas de tabaco, fruta doce, denso. É doce na boca, mas não tanto. Não é enjoativo. Tem bastante grafite tanto no nariz quanto na boca.

Terrunyo Cabernet Sauvignon 2008
Grafite, leve mineral, fruta, potente, taninos bem presentes. Muita concentração e força. É um vinho que está pronto, mas que dá para guardar ainda por mais 10 anos com certeza.

Terrunyo Riesling 2011
É um Riesling elegante, com aromas até tímidos, mas que aparece grande na boca. Excelente acidez e final de boca. Se envelhecer vai ficar ainda melhor com certeza. O enólogo acredita que pode ficar 20 anos envelhecendo (e eu não tive coragem de discordar).
Se quiser provar, infelizmente vai ter que desembolsar um bom dinheiro. Os vinhos da linha Terrunyo custam em torno de 200 reais no Brasil. Foi a minha única decepção da degustação.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Boa tarde! Tive a grata satisfação de tomar o Terrunyo no início do ano em Santiago. Foi surpreendente o que ele me proporcionou. Havia tomado e gostado o Marques na degustação da Concha Y Toro, mas o Terrunyou o superou em tudo. Abraço.

  2. 2

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>