tannat uruguaio

Familia Deicas agora na Interfood / TodoVino

Em um almoço que contou com a ilustre presença de Fernando Deicas, a Interfood / TodoVino apresentou seu novo integrante do portfólio. Os vinhos da Família Deicas são bem conhecidos pelos brasileiros e mostram bem que o Uruguai tem uma boa vocação para a produção de vinhos, em especial os feitos com Tannat.

Fomos surpreendidos com uma vertical do vinho Preludio, passando pelas safras de 1997, 1999, 2002 e 2005. Eu já havia provado o Preludio Barrel Select 2004, mas esses que me foram apresentados eu não conhecia. Até então só sabia da sua fama de serem bons vinhos.

Comprovei a fama e fiquei realmente impressionado com a força e longevidade dos vinhos. De todas as safras provadas, a que mais me agradou foi a de 1999, que estava mais viva e mais intensa que a de 1997 (que estava muito boa também, mas já que temos que escolher uma, fiquei com a 99). As safras mais novas estão excelentes, mas eu guardaria mais alguns anos para obter mais complexidade. Os vinhos Preludio seguem um corte regular de Tannat, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Merlot. Em 2005 eles acrescentaram um pouquinho de Marselan, mas foi um percentual muito pequeno e acredito que imperceptível. São coisas que o enólogo faz para melhorar o vinho, amaciá-lo, mas que para nós, ao provar, não há muito como perceber. Mas o que importa mesmo é que o vinho seja bom, não é mesmo?

Pude também provar finalmente o Preludio Branco, que eu queria conhecer. É um vinho com uma estrutura de impressionar. Passa um bom tempo por barricas e isso dá a ele uma complexidade que não se encontra facilmente por aí. Se você gosta de vinhos brancos mais amadeirados, esse é uma boa pedida.

E pra terminar com chave de ouro, provei o Família Deicas Tannat Premier Cru d’Exception 2005, um vinho que tem uma qualidade excepcional. Apesar de ainda jovem, o vinho mostrou que tem muito a oferecer, com aromas bem complexos, muito corpo e taninos de ótima qualidade. Um verdadeiro Premier Cru.

Esperamos que a vida da Familia Deicas seja boa junto com a Interfood e que possamos sempre ter esses bons vinhos à mesa.

Um abraço

Daniel Perches

Wines of Uruguay – Belas surpresas

No mundo do vinho, quando pensamos no que é produzido no Uruguai, lembramos sempre da Tannat. É verdade que essa é uma uva emblemática daquele país e que de lá saem excelentes exemplares, mas também é verdade que não é só de Tannat que é feito o seu painel vitivinícola.

E foi isso que eu pude comprovar no evento realizado recentemente aqui em São Paulo pela entidade Wines of Uruguay, que tem como missão principal divulgar os vinhos dos produtores associados pelo mundo todo.

O evento reuniu 14 produtores participantes no Hotel Renaissance , onde pude provar diversos vinhos que eu já conhecia de nome, mas que eu ainda não tinha provado.

Abaixo listo alguns que me chamaram a atenção.

Alto de La Ballena Merlot – Cabernet Franc – Tannat 2006
Um vinho bastante frutado, com destaque para geléia de frutas vermelhas em boa harmonia com um toque amadeirado. Acidez moderada.

Alto de La Ballena Reserva Cabernet Franc 2007
Mais um vinho fácil de beber, com boa tipicidade da uva Cabernet Franc. Um vinho para se beber no dia a dia.

Bouza Tempranillo B15 Parcela Única 2008
Um vinho que mostrou toda a força da Tempranillo do Uruguai. Taninos bastante presentes e final marcante. Para ser degustado com comida (de preferência uma boa carne).

Bodegas Castillo Viejo El Preciado, Gran Reserva 2005
Com fortes aromas terciários e com destaque para a madeira molhada e fumo, é um vinho de boa estrutura e provavelmente de alguma guarda ainda.

Familia Deicas Don Pascual Viognier Reserve 2009
Coloração verde palha denotando sua jovialidade. Destaque para os aromas herbáceos e sua acidez bem alta. Um vinho potente e muito fresco.

Gimenez Mendez Identity 2008
Lançamento da Bodega, esse corte de Tannat, Syrah e Petit Verdot mostrou uma boa complexidade de aromas, com toques de chocolate e toffe.

Marichal Reserve Collection Pinot Noir / Tannat 2008
Esse vinho me chamou a atenção pelo seu corte inusitado, utilizando uma uva com muita força (tannat) em conjunto com uma muito mais elegante e leve (Pinot Noir). Vale a prova.

Esses são, como de costume, alguns que eu destaco como vinhos de boa qualidade, mas obviamente haviam muitos outros que valiam a pena serem comentados. Mas por enquanto, ficamos com esses.

Além disso, a Wines of Uruguay está lançando um Pack promocional com alguns vinhos feitos com a uva Tannat, que servirão de “amostra de qualidade” para quem ainda não conhece. Uma ótima iniciativa, afinal de contas, o país realmente produz bons vinhos. Nós é que não conhecemos muito.

Um abraço

Daniel Perches