Morandé

Morandé Edicion Limitada Syrah / Cabernet 2007

morande_edicion_2007VinícolaMorandé

País: Chile

Região: Valle de Maipo

Safra: 2007

Uvas: Syrah, Cabernet Sauvignon

Visual: Rubi intenso, mas já com reflexos granada, demonstrando evolução.

No nariz: Frutas negras, madeira, leve toque floral e um pouco de pimentos. Leve aroma de fruta passa.

Na boca: Toques de madeira contrastando com um pouco de evolução, trazendo notas de frutas secas.

Avaliação: Sempre gostei dos vinhos da Morandé e esses é um dos meus preferidos. Gosto muito do Carignan e esse eu ainda não conhecia, mas fiquei novamente impressionado.

ImportadorExpand

Obs: Essa é só uma Nota de Degustação do Vinho, que foi criada para facilitar a visualização e dar as informações técnicas para quem deseja. O Blog Vinhos de Corte continua com os posts normalmente e é só você acessar clicando no logo aí em cima.

Vinho House of Morandé – classe e elegância em diversas safras

Tenho um carinho especial pelos vinhos da Morandé. Em uma de minhas visitas ao Chile eu passei pela House of Morandé, um lugar praticamente mágico, onde você come maravilhosamente bem sentado de frente para os vinhedos e as harmonizações são muito bem feitas.

E a Morandé faz também um vinho chamado “House of Morandé”, que é o premium da casa e só é produzido em anos em que a safra é realmente boa, para manter a alta qualidade. Já provei um desses há algum tempo e gostei muito.

Mas recentemente estive em uma degustação que me permitiu conhecer a fundo o potencial de envelhecimento desses vinhos, pois foi uma vertical (mesmo vinho, com diversas safras) conduzida pela próprio Pablo Morandé e com garrafas double Magnum (de 6 litros). Um show!

Provamos as safras 1999, 2001, 2003, 2004, 2005 e 2006 (a única que foi servida em garrafas de 750 ml). Como depende da safra, cada ano eles usam um corte diferente. Em 1999 por exemplo foi só Cabernet Sauvignon, já em 2001 teve Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Carginan, Merlot e Carmenere.

Gostei muito da safra 1999 pela sua elegância. O vinho já estava evoluído, mas ainda tinha força, potência e com certeza ainda poderia ser guardado por mais tempo. Me pareceu o vinho mais fácil para harmonizar com comida, pois não tinha taninos tão duros. Os outros que me chamaram a atenção foram o 2005, que me pareceu um pouco mais adocicado, mas ainda assim muito interessante e principalmente o 2006, que apesar de ser o mais jovem, estava um espetáculo, com aromas levemente mentolados e toques de madeira na boca. Esse é daqueles que eu quero comprar 2 garrafas: uma para beber agora e outra para guardar, pois com certeza em uns 5 anos vai ficar ainda melhor.

Um belíssimo vinho chileno, sem dúvida.

Um abraço

Daniel Perches

Morandé Edición Limitada Carignan 2007

Eu tenho uma “história de amor” com a Morandé. Foi um dos primeiros vinhos que eu comprei em uma loja especializada e que tinha uma qualidade superior e que eu pude começar a reconhecer aromas, sabores, etc.

Além disso, na ExpoVinis 2010 eu tive o grande prazer de conhecer o Pablo Morandé, que é praticamente uma lenda viva do vinho chileno e conversar um pouco com ele. Don Pablo já está com a idade avançada, mas na sua conversa calma e pausada tem muita sabedoria.

E um dos vinhos que eu gosto muito deles é o Carignan. Dizem que Pablo Morandé soube domar a casta como poucos. Se isso é verdade ou lenda eu não sei. Só sei que o vinho é realmente muito legal e vale a prova.

O Edición Limitada Carignan 2007 é produzido no Vale do Maipo e tem aromas de frutas vermelhas, especiarias e um toque animal (como carne mesmo), tudo integrado e fazendo uma dança na taça.

Na boca tem um corpo médio e taninos muito macios e um final levemente adocicado. Em geral eu não gosto dos finais adocicados para os vinhos tintos, porque acho que dificulta um pouco a harmonização, mas esse em especial não me incomoda. Acho que faz parte do vinho e que confere a ele um certo caráter.

Não é um vinho barato (custa em torno de 120 reais na Expand), mas é um vinho que eu acho que vale a pena. Não só pela casta diferente (eu provei poucos vinhos feitos 100% com Carignan até hoje), mas também por ser um dos vinhos tops do Chile (na minha humilde opinião, é claro).

Se provar, depois me diga se estou sendo influenciado pelo meu “amor” pela Morandé ou se o vinho é bom mesmo.

Um abraço

Daniel Perches

Morandé Vitisterra Grand Reserve 2001 Cabernet Sauvignon

img_00101Em uma das minhas visitas ao Empório Frei Caneca (em São Paulo), encontrei esse vinho, que estavam degustando e vendendo com um valor interessante (R$ 55,00) na época. E ainda ganhava um DVD do Pablo Morandé. Fiquei um pouco ressabiado pois a promoção era fantástica. O valor real do vinho era algo em torno de R$ 150,00. Achei muito bom para ser verdade, mas resolvi pagar pra ver e acabei comprando uma garrafa.

Um ano depois, resolvi abrir a garrafa e ver como estava. Lembro-me da degustação e queria comparar com o que tinha em casa. O resultado foi muito bom.

O interessante foi que o vinho se desenvolveu bastante nesse ano. Lembro-me de ter degustado um vinho bem forte e encorpado, mas ainda muito vivo.

Continue reading