Se for visitar a Champagne Pierre Moncuit, converse com a senhora Nicole

Champagne-Moncuit-Enter

Quando dizem que a região de Champagne tem muito a ser descoberto, podem acreditar. É possível encontrar grandes produtores (e eu já falei de vários aqui), aqueles tradicionais, que cresceram com o tempo (também tem alguns no Blog), mas se você der um pequeno passeio é bem provável que cruze com produtores com Nicole Moncuit, uma senhora magrinha que usa roupas simples, fala fácil, cheia de energia e que agora está preocupada com o futuro de seus Domaine, o Champagne Pierre Moncuit, pois não sabe se a sua filha, que vai herdar a propriedade vai continuar o seu trabalho e seu estilo.

Conversar com Nicole é parar no tempo. Ela provavelmente não vai perguntar qual é o seu nome, de onde você vem, qual é a sua preferencia nem nada. Ela vai oferecer os champagnes que produz e pronto. Gostou, ótimo. Não gostou, tudo bem também. E tudo isso com o cachorro da casa, um pastor alemão brincalhão, rondando o recinto em busca de carinho.

Para mim, que estava em busca de lugares diferentes na região, foi algo realmente inusitado. Longe de serem os melhores champagnes que já provei, mas confesso que a autenticidade da Madame Nicole me encantou a ponto de eu já não saber mais se no final eu estava gostando mais a cada um que ela servia ou eu estava só me divertindo com o jeito diferente de ser dela.

Se está indo para a região e quer um conselho, visite as grandes, faça seu tour pelas conhecidas, mas vá ver a Madame Nicole. Brinque com o cachorro dela e ouça algumas histórias que ela tem para contar. Arrisco dizer que é bem provável que você saia de lá com um sorriso no rosto e com uma garrafa na mala.

 

Veja aqui os champagnes que provei. O importador no Brasil é a World Wine e você pode ver o site da Champagne Pierre Moncuit aqui.

Brut Huges de Coulmet
Feito só com Chardonnay, é fácil de beber e leve.

Grand Cru Pierre Moncuit
Mais intenso, com menos açúcar e mais seco. Um Champagne mais sério.

Pierre Moncuit Vintage 2005
Me pareceu ainda jovem, com bastante acidez e frescor. Dá para guardar, mas para quem gosta da complexidade de um vintage com frescor, é comprar e abrir.

Non Dosé 2005
Champagne mais aromático, com toques de frutas brancas bem delicadas.

Vintage 2004
Esse já estava mais pronto para o consumo, mais complexo, já com toques de evolução. No ponto exato para consumo agora (em 2014).

Nicole Moncuit Vielle Vigne 2004
Feito com uvas de vinhas de mais de 90 anos. Vai com o nome da Senhora Nicole, então já podem imaginar que ela deve ser criteriosa. São as melhores uvas. Só é feito em anos especiais. Frutas frescas, figo.

Rosé
Cor mais intensa que normalmente vemos nos champagnes rosés, com toques mais adocicados no nariz e na boca.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>