Se for comprar vinhos no Rio de Janeiro, vá aos Supermercados Mundial

mundial

Demorei um tempo para fazer esse post, porque eu confesso que não estava acreditando muito no que vi.

Estive na Sede dos Supermercados Mundial a convite deles, para que eu pudesse conhecer um pouco mais sobre a parte de vinhos. Até então imaginei que fosse algo “comum”, mas realmente fiquei surpreso.

A empresa (bem grande) é familiar e toda gerida com capital próprio. Há 10 anos iniciaram um projeto para importação de vinhos e quem ficou responsável por essa área foi o Sr. Paulino, português simpático e contador de histórias, que dentre várias, falou sobre o processo que a empresa passou para chegar no que é hoje, nessa área tão difícil que é a importação de vinhos. Recrutaram meninas que trabalhavam lá já há algum tempo para tornarem-se atendentes de vinhos. O que no início era um grande desafio, pois muitas delas nem bebiam, hoje é um sucesso, com pessoas super qualificadas e apaixonadas pelo trabalho.

20150525_132949

Além disso, um dos grandes diferenciais do Mundial é a sua política de preços muito agressiva. Imagine um Vinho Verde Alvarinho Terras de Felgueiras que é vendido por R$ 29,90, mas que é um verdadeiro Alvarinho, com qualidade excelente. Eles têm lá. Provei e fiquei encantado. Ah, não é promoção não. É o preço mesmo.

E que tal um vinho do Douro, feito pela Quinta do Crasto, custando R$ 49,90? Já comprei muitos desse tipo pagando mais de R$ 100 (e achando que estava tudo bem).

Esses são só dois exemplos, que eu tive oportunidade de provar por lá, mas certamente quem for ao Mundial, verá que tem muito mais. Muitos dos vinhos são de importação própria, mas tem produtores brasileiros e também de outros importadores nas gôndolas, todos com preços abaixo do que vemos normalmente no mercado. Lembrando que eles só aceitam dinheiro e débito (nada de crédito), mas ainda assim, vale muito a pena.

IMG_0952Saí de lá feliz por conhecer mais uma história bacana de uma empresa que deu certo, por poder conversar com pessoas humildes e trabalhadoras, mas ao mesmo tempo “triste” por não ter nenhum Mundial perto da minha casa. Certamente minha adega estaria mais cheia e eu estaria gastando menos dinheiro.

Então, meus amigos cariocas, se quiserem nos torturar, é só mandar aqui o que andam comprando por lá. Ficarei contente por vocês.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>