Santa Carolina Dry Farming Carignan 2008 – especial para a CBE

Como acontece todos os meses, vários amigos blogueiros se reunem, mesmo que virtualmente, para degustar vinhos. Mensalmente alguém dá um tema e todos vão em busca de seus vinhos para provar e postar, sempre no dia 1 de cada mês. Dessa vez a tarefa “árdua” coube a mim e após pensar um pouco, decidi por uma uva que gosto muito, mas que conheço poucos rótulos. Vi então uma oportunidade para conhecermos mais vinhos feitos com a Carignan.

Pedi para todos da confraria postarem um vinho feito com essa uva. Podia até ser um vinho de corte, mas o ideal era que fosse um varietal. Qualquer valor e qualquer país são bem-vindos. Só queremos beber mais carignan.

E eu explico a minha paixão por essa uva: de todos os vinhos varietais que já bebi feitos com Carignan, todos foram bem elegantes, fortes, potentes e bem estruturados. Todos tiveram aromas bem marcados e admito, não foram de fácil harmonização (mas também nem sempre tem que ser fácil).

Aproveitei então o tema para abrir um vinho que eu tinha em minha adega já há alguns meses, que é o Santa Carolina Dry Farming Carignan 2008. Santa Carolina é uma vinícola enorme no Chile, que faz bons vinhos, mas os mais conhecidos por aqui são realmente os Reservados. Esses são campeões de venda em qualquer supermercado e acredito que entregam o prometido pelo preço (que gira em torno de 18 reais).

Mas esse Carignan está numa categoria superior, que eles chamam de “Specialties” (ou especialidades), que é formada por esse, por um Sauvignon Blanc e por um Malbec. Cada um vindo de um vinhedo diferente.

O Dry Farming Carignan vem do vale de Cauquenes e as vinhas por lá têm mais de 80 anos. Vinhas velhas de Carignan me atraem ainda mais, tenho que confessar.

E esse vinho não decepcionou: com aromas de frutas negras e florais, mas com aquele toque “medicinal” característico da Carignan, encheu a taça, acompanhando leve aroma de cacau e baunilha. Na boca tem taninos jovens ainda, daqueles que “pegam” a boca e deixam a gente pensando que o vinho poderia evoluir até mais.  Não senti amargor no final e foi muito bem com um ragú com polenta. Aliás, mesmo com o ragú bem temperado (e até com alguma pimenta), o vinho não se intimidou.

Vinhos feitos com Carignan não são baratos e eu estou sempre em busca de boas barganhas. Esse custa em torno de 65 reais e entrou para a minha lista dos preferidos.

Os vinhos Santa Carolina são importados pela Casa Flora. Para saber mais sobre a vinícola, acesse o site do produtor aqui.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

6 Comentários

  1. 2

    Olá Daniel

    Parabéns pelo post. Modéstia à parte, acho que nossas impressões sobre o vinho foram parecidas, o que me deixa muito envaidecido e lisonjeado.
    Se puderes dar uma passadinha no meu blog para conferir meu post, agradeço muito.

    Um abraço e saúde!

    Tiago Bulla

  2. 3
  3. 4

    Oi Daniel,

    Você comprou direto no importador?

    Poderia me informar qual a loja (pode responder por e-mail mesmo).

  4. 5

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>