San Pedro de Yacochuya e seus vinhos corpulentos

A Viña San Pedro de Yacochuya fica em Cafayate, que fica a 2 horas da cidade de Salta, no norte da Argentina, numa localização incrível. É um lugar alto, bonito, rodeado de montanhas e com um silêncio maravilhoso. Lá dá pra esquecer da vida fácil, fácil.

Eu já conhecia um dos vinhos deles, que provei quando comprei na Grand Cru, que é quem importa no Brasil, mas pude conhecer mais quando estive lá e conversei com o Marcos Etchart, sócio da bodega e responsável pelos vinhos junto com os enólogos contratados, que trabalham com a consultoria do famoso Michel Rolland (também conhecido como Flying Winemaker).

A família Etchart e Michel Rolland tem uma história longa. Desde 1988/1989 que eles se conhecem e desde então Rolland vem fazendo mudanças interessantes nos vinhedos deles. E pelo jeito tem sido bom, porque os caras vem ganhando prêmios todos os anos com os vinhos.

Se tiver que encontrar uma característica para os vinhos da Yachochuya, eu diria que é ter muito corpo. Desde os vinhos mais jovens até o top, todos se destacam por essa característica, mas sem deixar de lado a acidez, que é muito importante para não deixar o vinho “chato” e muito pesado. Então se você gosta desse tipo de vinho, vai fundo. Com certeza será uma ótima experiência. Mas já alerto: tenha uma boa comida, também bem estrutura e até com um pouco de picância se for beber um Malbec deles. Vai ser necessário.

Abaixo tem alguns dos vinhos que eu provei.

San Pedro de Yacochuya Torrontés 2012
Aromático, bom corpo e boa acidez. Não tem tanta doçura, o que ajuda a não deixá-lo enjoativo.

Coquena Rosado Tannat 2012
Bom aroma, mais equilibrado. Na boca tem um começo doce, mas depois sai. Interessante por ser diferente.

Coquena Malbec 2011
90% Malbec, 10% Cabernet Sauvignon Vinho fácil de beber, com pouca madeira. Na boca tem bastante fruta, final médio com taninos ainda jovens.

yacochuyaSan Pedro de Yacochuya 2010
Malbec 80%, Cabernet Sauvignon 20%. Um toque de frutas vermelhas com leve aroma herbáceo no nariz e na boca. Talvez precise de mais tempo em garrafa. Um pouco rústico.

Yacochuya 2009
Malbec puro. No nariz tem bastante fruta e se deixar descansar um pouco, vai se abrindo. Na boca é doce, com muito tanino. É o mais corpulento de todos e o que mais me chamou a atenção na degustação.

E se você for à vinícola, não deixe de provar os queijos de cabra que eles oferecem. São muito saborosos e com o Torrontés vai muito bem.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Gosto muito do Yacochuya. Apesar de não ser um fã do estilo pesadão (atualmente, afinal, minhas preferências flutuam muito com o passar dos anos), esse vinho é especial.

    Foi o vinho que me fez levar mais a sério o assunto. Um Yacochuya 2003 que achei espetacular.

    Belo post sobre a Bodega!

  2. 2

    Sou sommelier formado pela A.bs association de la sommelier internationals

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>