Os famosos vinhos espanhóis de Julián Chivite

julian_Chivite_header

Eu já tinha ouvido falar nessa bodega, mas ainda não tinha provado nada. Aí estive na Mistral, que importa os vinhos e provei junto com o Eduardo, que é o gerente de exportação para o Brasil e pude ver se esses vinhos são tão bons quanto o pessoal comenta mesmo.

A Julián Chivite é um grupo grande e uma das vinícolas mais antigas, fazendo vinhos há mais de 300 anos. É de Navarra, nordeste da Espanha. Nessa região têm dois vinhedos: no do Sul cultivam os brancos e rosados e ao norte fazem os tintos, pois lá tem um clima parecido com Bordeaux.

Ao final da degustação pude perceber que é um produtor clássico e que por ter bastante qualidade se permite fazer vinhos usando uvas internacionais, fazendo como se fosse um “supertoscano de Navarra”, por exemplo. Qualidade não falta, muito menos vontade de crescer. Para minha sorte (e quase nunca acontece), o que mais me agradou foi o mais barato, o branco.

Notas da degustação:

baluarte_verdejoBaluarte Verdejo 2011
US$ 32,90
Único da degustação que é de Rueda. Vinho muito fresco e com aromas de frutas cítricas, maçã verde e toques florais de leve. Alegre e convidativo no nariz. Na boca é bem refrescante e com acidez muito na medida. Um ótimo vinho para aperitivo ou para acompanhar salada e até frutos do mar leves. Bom vinho para o verão.

Gran Feudo Edición Chardonnay Sobre Lias 2008
US$ 38,50
Tem grande tradição em fazer Chardonnay. Vinho tem aromas típicos da Chardonnay mas com um contraste de leveduras e também frutas como damasco. No nariz dá para pensar que tinha madeira, mas depois na boca sente-se mais untuoso, mas não pesado. Muito presente na boca e com um final marcado e muito longo. Passaria por um Chablis facilmente. a única diferença é que não tem tanta mineralidade. Uma excelente alternativa para quem não quer algo muito pesado. Fácil de harmonizar. Bem gastronômico, passando por peixes com molhos fortes até massas com queijo ou fondue.

Gran Feudo Rosado 2011
US$ 24,50
Navarra é famosa por seus rosés e esse é muito conhecido. Feito 100% com Garnacha, tem cor cereja clara. Feito pelo método de “sangria”. No nariz é delicado e tem os aromas de frutas vermelhas mas bem leves. Na boca também é delicado mas ao mesmo tempo tem caráter, não deixando passar despercebido. Recomendado pelo Eduardo para acompanhar pinchas e tapas. Pode ser usado para comidas mais descompromissadas e de verão, acompanhando até peixes como salmão e atum ou camarões grandes em molho picante.

Gran Feudo Reserva Viñas Viejas 2005
US$ 45,50
Garnacha de vinhedos de 60 a 65 anos de idade. 60% Tempranillo e 40% Garnacha.  Já dá pra ver que tem toques de evolução na cor. No nariz mescla as frutas negras com toques de madeira típico da Espanha e até algo de especiarias. Na boca tem muita vivacidade e pode ser guardado por um bom tempo. Uma alternativa mais “elegante” para acompanhar carnes grelhadas, fugindo do Tannat.
Dependendo da safra podem incluir Cabernet Sauvignon e Merlot até 25%.

Colección 125 Reserva 2005
US$ 125,00
Aromas mais austeros, mesclando mais tipos de aromas, com cerejas e licor aparecendo mais forte. Madeira molhada. Forte na boca e com bastante taninos, mostrando que ainda está jovem e poderia ser guardado, mas pode ser excelente também com uma boa carne.

Pagos de Arinzano 2000
US$ 224,50
Primeira safra deste vinho.Não fazem todos os anos. Tempranillo, Cabernet Sauvignon e Merlot. Já tem uma boa evolução na cor, mas ainda bem intenso. Notas mais defumadas de tabaco e leve vegetal. Muito redondo na boca e muito presente, sendo intenso mas sem enjoar.

 

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>