Montsecano Pinot Noir 2009 – dizem que é o melhor Pinot do Chile

pinot_noir_header

Eu trouxe esse Pinot Noir na mala, em uma viagem ao Chile. Encontrei com a namorada do produtor, que estava nos acompanhando em um evento da Wines of Chile. Depois de uma conversa, ela me contou que estavam colocando os rótulos naquela semana e que a produção estava praticamente toda vendida, mas me conseguiu uma garrafa.

Deixei o vinho descansar um bom tempo em minha adega antes de abrir, porque eu queria uma ocasião especial, afinal de contas esse vinho foi aclamado por alguns como o Guia Descorchados como o melhor Pinot Noir do Chile.

A ocasião chegou e eu finalmente pude abrir. Quem me acompanhou nessa tarefa foi meu amigo Alexandre Frias (Enoblogs/Diário de Baco) e pudemos provar o tão famoso Pinot Noir da Montsecano.

montsecano_Pinot_Noir_2009Produzido no Valle de Casablanca de forma biodinâmica e orgânica, esse é um vinho no mínimo diferente. No nariz ele tem aqueles toques de terra que são misturados com um pouco de levedura, acompanhando os tradicionais aromas de frutas vermelhas. Acho até que em uma degustação às cegas, enganaria muita gente até em relação à uva.

Na boca é intenso, com boa acidez, mas ele tem um toque diferentão que precisa ser compreendido. Se você estiver esperando algo do estilo da Borgonha, esqueça. Esse está muito mais para aquele toque de mato que é típico em vinhos naturais.

Eu gostei muito do vinho, até porque eu tinha acabado de voltar da França e tinha bebido vários vinhos orgânicos lá, então foi mais um para o currículo.

É um vinho que tem um preço alto (está em torno de 300 reais), que é justificado pela sua produção pequena e de alta qualidade. Esse é importado pela Zahil.

Um abraço

Daniel Perches

* Esse post foi especialmente para a CBE – Confraria Brasileira de Enoblogs, que mensalmente define um tema e cada um dos participantes degusta o seu vinho e posta sempre no dia 01 de cada mês.

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Essa desculpa de preço alto devido à produção pequena não cola. É mais uma maneira do pessoal explorar. Trezentos paus em um Pinot chileno? Só pode ser brincadeira. Pinot Noir chileno sempre será um Pinot Noir chileno, Uns melhorzinhos, outros piorzinhos, mas sempre um Pinot Noir chileno.
    Sds, Jorge

  2. 2

    E complementando, vi que foram mais de 2.000 garrafas produzidas. Concordo que é pequena a produção, mas há montes de vinhos com produção por volta de 3.000 garrafas e que não ficam com essa de produção pequena para cobrar preço alto.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>