Estudo diz que beber vinho durante a gravidez é benéfico para a criança

Mulher gravida vinho

Minha esposa está grávida. Uma das primeiras perguntas que fizemos ao médico foi se ela poderia beber, mas já esperando aquele sonoro NÃO, seguido de um grande sermão. Mas ao contrário de nossas expectativas pessimistas, ele disse que sim, ela poderia beber, muito moderadamente, durante toda a gravidez.

Optamos por fazer isso somente após o 4o mês, pois no começo é quando se formam as partes mais importantes, como cérebro, medula, etc.

Hoje ela está no 5o mês e bebe uma “micro-taça” de vinho para me acompanhar, somente aos finais de semana. Nos outros dias em que eventualmente eu bebo vinho em casa, ela não bebe por opção e claro, por cuidado com o nosso filho que vem aí.

Sei que há muita discussão em torno do tema, mas acho que a moderação é a palavra-chave e que precisamos ser sensatos ao pensar se “pode ou não pode”. Eu tendo a acreditar que os médicos proibem pois não sabem qual será o limite da mãe, que ao ser liberada, aproveitaria e beberia muito, aí sim sendo prejudicial.

E qundo vi a notícia no site The Drink Business sobre um estudo feito na Dinamarca com 100 mil mulheres grávidas que bebiam vinho, achei muito interessante. O estudo diz que o efeito é benéfico e as crianças ficam mais “sociáveis”, mas eles mesmos alertam que provavelmente não é devido aos efeitos do álcool, mas sim do estilo de vida dos pais.

Veja a publicação original aqui e aproveito para deixar meu conselho para quem estiver ou for ficar grávida: não precisa se privar do vinho, mas pense no seu filho, que tem uma vida inteira pela frente. Beber menos, alimentar-se melhor e manter uma vida saudável será bom não só para ele, mas para você também. E logo ele nasce, desmama e você pode voltar a beber normalmente. Por enquanto, curta a gravidez, que é tão extasiante que se basta.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

12 Comentários

  1. 1

    Caro,
    Os resultados seriam basicamente os mesmos se as mães não tivessem bebido durante a gravidez. Como destacado pelo próprios pesquisadores, as crianças são assim porque seus país tem um estilo de vida mais tranquilo, característica de quem bebe vinho. Como você sugere em seu texto, também acho que as mães deveriam evitar álcool durante a gravidez. É muito pouco tempo e um grande compromisso, para correr o risco. Además, a criança, neste caso, não estaria tendo escolha quanto ao consumo do álcool.
    Sds,
    Jorge

  2. 2

    Daniel,
    eu tendo a acreditar que a diferença entre o remédio e o veneno está na dose. Porém, na nossa sociedade, cada vez mais extremista, ou algo é bom para a saúde, ou algo é ruim.
    Mas isso está longe de ser verdade. Nosso corpo não pode ficar sem o ‘mal colesterol’, assim como gordura e açúcares são necessários. E água, em excesso, também pode fazer muito mal, inclusive matar uma pessoa.
    A questão é: nós temos a tendência a consumir açúcares, álcool e gordura em uma dose muito acima do ideal, e a tomar água e comer salada muito abaixo do ideal.
    Os estudos sobre os benefícios do álcool, em pequenas quantidades, tendem a encontrar explicações alternativas, pois o álcool virou ‘vilão’. Mas cada vez mais, estudos mostram benefícios no consumo de diversas bebidas alcoólicas, não apenas vinho, recuperando um conhecimento empírico que a sociedade quase perdeu.

    Um brinde ao seu filho, e parabéns.
    Rodrigo

  3. 3
  4. 4

    Daniel, eu estou na mesma situação. “Perdi” minha companheira de vinho. Estamos grávidos de 7 meses. Uma vez ou outra ela experimenta uma micro-taça. O único problema é que eu por tabela também diminui meu consumo de vinho e minha adega lotou.rsss mas com calma chegamos lá….
    Abraços

  5. 5

    É fácil para alguns homens falarem é só 9 meses e mais o periodo de amamentação… eu não bebo na gravidez por opçao e medo de prejudicar minha filha, mas dizer que é fácil deixar de tomar um bom vinho enquanto todos a sua volta o apreciam, eu estaria mentindo

  6. 6

    Olá Daniel.
    Estou curiosa, seu filho nasceu bem?
    Sou gestante e também bebo vinho aos finais de semana, mas o medo me ronda.rs
    Abraço

  7. 7

    Olá Roberta

    Sim, meu filho é lindo (que pai que não diz isso, não é mesmo? :))
    Ele está com 1 ano agora e minha esposa não bebeu durante a amamentação (só tomava um micro-gole de vez em quando), mas assim que ele desmamou ela voltou ao consumo normal.

    Até o médico disse pra ela que poderia beber moderadamente. Pra gente, deu tudo certo.
    Um abraço e parabéns pela gravidez. Espero que venha com bastante saúde!

  8. 8
  9. 9
  10. 10

    A questão é que o consumo do álcool, mesmo em pequena quantidade, pode afetar a formação neurológica , oq vai comprometer o sistema cognitivo…. então você nunca saberá se afetou ou nao até idade escolar… é também, nunca saberemos se o comprometimento cognitivo ocorreu devido ao consumo do álcool, ou por outra razão… eu preferiria evitar.

  11. 11
  12. 12

    Falar que é fácil ficar 9 meses e mais uns 6 pelo menos sem beber nas pra quem tinha um estilo de vida em que bebia socialmente é fácil . Fácil pra quem nunca bebeu, fácil pros homens que não passam por isso . Não é fácil abrir mão de nenhum hábito seja ele bom ou ruim faça ele bem ou mal … Não acredito nos extremos . Temos medo daquilo que não podemos provar e por isso os médicos proíbem .. se puder evitar ok … Mas se não. .. acredito que basta moderar . minha mãe bebeu na gravidez e nós 3 somos normais e inteligentes … formada, escolarizada, passando no vestibular de medicina capacitadas , felizes e sociais . Uma com 8 outra 18 e eu 26

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>