Espino Gran Cuvée 2010 – Vinho chileno feito pelo mestre do Chablis

Se a Cabernet Sauvignon é a uva tinta mais cultivada e consequentemente mais bebida no mundo, a Chardonnay é com certeza a correspondente branca. Tem Chardonnay no mundo inteiro e com a abundância, vem também vários estilos.

Mas o mais famoso é sem dúvida o de Chablis, na Borgonha. As uvas de lá são muito elegantes e longevas e é possível beber vinhos de Chablis que são verdadeiras jóias de qualidade e complexidade. E um dos grandes produtores de Chablis é William Fèvre, que dizem que conhece a região como ninguém.

Mas a William Fèvre não fica só na Borgonha. Partiram para conquistar o Novo Mundo e produzem também no Vale do Maipo, no Chile e é de lá que vem o Espino Gran Cuvée 2010, que como o importador disse pra mim numa feira, é o “Chablis do Novo Mundo”.

Elegância no nariz, com aromas leves e bem delicados de frutas e de flores e a boca tem uma excelente acidez, mas não aquela rasgante e sim uma leve, que faz com que o vinho fique gastronômico. O vinho fica em barrica por 8 meses, mas esqueça aqueles Chardonnays pesadões, com aromas de manteiga e que você só consegue beber dois goles. Esse é leve e fácil de beber, harmonizando perfeitamente com comidas como frutos do mar, ostras ou uma boa lagosta. Já pensou? Eu pensei e salivei.

Agora vem a melhor parte: um vinho desse, com essa qualidade toda, custa em média 65 reais. É, meus amigos, dá pra comprar excelentes vinhos com preços bons sim. Só precisamos pesquisar um pouco.

Esse eu recomendo fortemente. Pra saber mais, acesse o site da William Fèvre do Chile ou o site da Domínio Cassis.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 2

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>