Douro Boys, sempre degustando e celebrando!

Por onde passam, os Douro Boys dão show. Não só pela sua irreverência, mas principalmente pelos seus vinhos de altíssima qualidade. É difícil encontrar um vinho deles que seja “bom”. É tudo “muito bom” pra cima!

Ah, não sabe quem são os Douro Boys? Então eu conto: em 2003, 5 produtores – Quinta do Vallado, Quinta do Crasto, Quinta do Vale D. Maria, Quinta do Vale Meão e  Niepoort (Vinho do Porto), resolveram se unir e juntar esforços para  ganhar mais peso e importância no mercado internacional. O objetivo era “pôr o Douro no mapa”, como eles mesmos dizem.

Eles viajam o mundo juntos para apresentar seus vinhos, mas principalmente para falar sobre o Douro. Assim a gente ganha com a apresentação sobre essa região feita por experts e a região ganha fama, afinal de contas, de quebra a gente prova vinhos bem legais de lá.

E já que estamos falando sobre o Douro, lá é uma região muito quente (que pode fazer até perto de 50 graus durante o dia no verão), com encostas íngrimes que só de olhar dá um pouco de vertigem. De lá vêm vinhos tintos bastante intensos, daqueles que podem “pintar os dentes” com facilidade. Mas de lá vêm também vinhos brancos frescos, com bastante mineralidade no nariz e na boca e obviamente os famosíssimos vinhos do Porto, que são vinhos licorosos muito saborosos, adocicados e intensos, que geralmente se bebe como aperitivo ou com uma boa sobremesa (ou um bom charuto).

Para aventurar-se pelos vinhos portugueses é obrigatória a passagem pelos vinhos do Douro. E uma boa forma de conhecer bons vinhos é provar os dos Douro Boys.

Ontem estive com eles em um evento realizado no Consulado de Portugal e pude provar novamente alguns que eu já conhecia e outros que ainda não tinha tido oportunidade de provar. O destaque dessa vez ficou com alguns como o Quinta do Crasto Vinhas Velhas 2009, um vinho muito intenso e jovem ainda, mas extremamente convidativo. Outro que me chamou a atenção foi o Vinho do Porto Niepoort Colheita 1998, que apresentou cores mais alaranjadas, toques de frutas secas, mas com uma vivacidade incrível. Cito só esses dois, porque senão esse post ficará gigantesco, pois são muitos vinhos bons de verdade.

Se quiser conhecer mais sobre os produtores, veja abaixo o site de cada um deles e os respectivos importadores e boa viagem!

Quinta do Crasto – importado pela Qualimpor

Quinta Vale D. Maria – importado pela Vinho Sul

Qunta do Vale Meão – importado pela Mistral

Niepoort – importado pela Mistral

Quinta do Vallado – importado pela Cantu

Um abraço

Daniel Perches

 

 

You Might Also Like

2 Comentários

  1. 1

    Conheço e adoro o Quinta do Crasto Vinhas Velhas há muitos anos.
    O grande problema dele é que vem disparando de preço ao longo dos anos, o trabalho de divulgação dos Douro Boys está eficientíssimo,rsrsrs.
    Abraço

  2. 2

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>