Don Antonio IGT 2006 – a potência do vinho italiano na veia

Um dia eu vi na TV um cara fazendo um risoto e finalizando ele na casca do queijo parmesão, aquela que fica depois de ser “cavado”, ficando só as bordas. O queijo serve de recipiente e como o risoto chega super quente, ele vai derretendo um pouco da borda e se integrando à comida. É claro que fiquei fascinado e fui atrás da minha casca de queijo para poder fazer isso também.

Depois de um bom tempo, consegui com o meu amigo lá do CEAGESP, que participa sempre comigo do Encontro de Vinhos. Ele prometeu e cumpriu: me deu uma casca de parmesão para eu fazer meu risoto.

don_antonio_IGT_2006E com os ingredientes em mãos, partimos para pensar no acompanhamento do Risoto e também no vinho, é claro. Com o meus amigos Emerson (Voilà Gourmet) e Alexandre Frias (Enoblogs/Diario de Baco) conseguimos pensar em um baby beef muito bem temperado com uma crosta de pimentas e o vinho então tinha que ser à altura. Foi então que lembrei de sacar o meu Don Antonio, vinho da Sicília feito com a uva Nero d’Avola da adega.

Quem já tinha bebido me falou que era um vinho potente e que aguentava o tranco, então não tivemos dúvidas: Nero d’Avola com risoto e carne com crosta de pimentas, por favor.

O Don Antonio não só deu conta do recado como foi um grande parceiro da comida, tanto do risoto (que foi feito com funghi) quanto da carne, que mesmo bastante apimentada, não intimidou o vinho.

Bastante fruta vermelha no nariz e na boca, toques defumados leves e uma acidez muito agradável faz deste um grande vinho italiano, que topou a parada e fez bonito.

O Don Antonio é importado pela Ravin e custa R$ 188,00.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>