Chile, o país desconhecido

Passei uma semana no Chile., a convite da Wines of Chile. Na verdade foram 5 dias, mas que valeram por muito mais tempo. Visitei vinícolas de terça a sexta intensamente. Em todas conversei com enólogos, donos, pessoal do marketing, de vendas, dos restaurantes das vinícolas, enfim, uma verdadeira imersão na cultura.

E não há nada mais legal no vinho do que esse aprendizado constante. Durante essa viagem eu visitei os vales de Casablanca, Curicó, Colchagua, Cachapoal e Maipo. Dessa vez a visita foi em grandes vinícolas como Concha Y Toro, Ventisquero, Viu Manent, San Pedro e outras, que eu vou contar em breve.

Do Chile eu trouxe vários aprendizados (e alguns vinhos muito bons, é verdade): aprendi que esse país tem e consome muitos vinhos, mas nós realmente só conhecemos uma parte deles, e que infelizmente nem sempre é a melhor.

Acredito que a maioria das pessoas que ler esse post vai lembrar que começou com vinhos chilenos, mas para os que tiveram sorte de terem mais dinheiro ao longo da vida (ou de toparem investir em vinhos), provavelmente partiram para a compra de vinhos de outros países.

É claro que devemos diversificar. Eu sempre faço isso e acho que devemos provar o máximo de rótulos possível na vida, mas o Chile tem sim vinhos bons de alta gama. E nem estou falando dos vinhos ícones, que falam por si só, mas de vinhos muito bons, como os da Emiliana, que inclusive tem um ótimo custo no Brasil. Falo de vinhos como o 5a geração, da Casa Silva, que têm um blend de uvas brancas que resulta num vinho fantástico (e barato) e muitos outros. São vinhos como esses que me deixam animado novamente com o Chile. Me fazem querer provar mais vinhos chilenos, porque os caras realmente sabem o que fazem.

Nos próximos dias vou publicar sobre os vinhos que bebi por lá. Se você gosta de bons vinhos, com bom custo, vale a pena ficar de olho. Vai ter de tudo: brancos, tintos e sobremesa. Dessa vez não teremos rosados e nem espumantes. Esses ficam para a próxima visita.

Espero que goste e que ajude a conhecer mais esse país tão interessante em diversos aspectos, principalmente na produção de nossa querida bebida.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

4 Comentários

  1. 1

    Vc mandou bem.A primeira vez que fui no Chile fiquei impressionado com a quantidade de vinhos que nem chegam aqui.E eram muito baratos.Põe barato nisso.Provei vinhos que nunca ouvi falar.
    A quantidade , faz a qualidade.Isso eles já conhecem por lá.Quando será que vamos ver isso aqui?
    abs

  2. 2
  3. 3

    Olá Daniel,

    Por pouco a gente se tromba no Chile, também fui na CyT e estou quase especialista nos vinhos deles! Aliás, falando no Diabo rs, ganhei da CyT Brasil o kit do espumante Casillero Brut que vem com o Guia do Diablo… EXCELENTE, quero refazer a maioria com certeza!!!

    Fiquei fascinado com a vinícola e com os vinhos (lógico) da Matetic.

    Vi que visitou a Viu Manent a qual conheci o Sommelier Cesar Juarez que é uma pessoa excelente e agradabilíssima.

    Um grande abraço,

    Raphael Baruki.

  4. 4

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>