Barolo Parusso 2006

parusso_header

As degustações às cegas são sempre muito interessantes. Mas calma que eu não quero ficar aqui evangelizando e falando que devemos beber sem pensar em pontuações, rótulos, etc. O

Meu ponto é outro e eu explico: esse Barolo, o Parusso 2006, participou da degustação para a eleição dos Top5 do Encontro de Vinhos de Belo Horizonte 2013, onde foram escolhidos 5 vinhos argentinos (veja o resultado aqui).

Por estar na organização, eu não participei do julgamento, mas eu pude provar vários vinhos e um que me chamou a atenção foi esse barolo. Obviamente eu tenho acesso às notas e sei que ele ficou muito bem classificado, mas não entrou nos 5 melhores.

barolo_parusso_2006O Barolo Parusso é um ótimo vinho. Aromas de frutas e de ervas explodindo na taça e na boca aquela acidez típica italiana, típica da uva Nebbiolo. Esse vinho com um popeltone é para comer rezando.

E nada contra (aliás, só a favor) dos vinhos que ganharam o Top5. É só uma constatação. Será que nós brasileiros estamos nos acostumando com os Malbecs da Argentina e estamos esquecendo de provar os bons vinhos italianos, franceses, espanhóis, etc? Sim, sei que vai falar que é caro, que não é fácil encontrar, etc, etc. Mas e o que falar dos Chiantis, que custam em torno de 50 reais?

Mais do que falar sobre o Barolo Perusso, eu quero fazer um apelo: vamos beber mais vinhos do Velho Mundo. Há uma infinidade de vinhos para conhecer. Se não tiver grana para comprar um barolo por exemplo, fique de olho nas degustações das lojas e importadoras. De vez em quando aparece alguma coisa legal. Paga-se uma grana pequena (e às vezes é de graça) e pode provar alguns rótulos mais caros e exclusivos.

Viva o Barolo, viva os vinhos italianos e principalmente viva a diversidade, sempre!

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

3 Comentários

  1. 1

    Oi Daniel.
    Otimo blog. Duas coisas somente:
    O Barolo em questão é feito com nebbiolo 100% e um metodo de vinificação que merecia um site só sobre ele.
    Concordo que os vinhos do novo mundo custam menos aqui no Brasil em comparação aos vinhos do velho mundo ( por diversas razões ), mas pensa que o vinho em questão estava custando em torno de 160 reais ( preço igual ao meu ver de diversos famosos vinhos do novo mundo )

  2. 2
  3. 3

    Oi. Esse do seu artigo é o Barolo DOCG Mariondino, um cru da Parusso ). Ele estava no fim de semana do evento por 160 reais nas lojas do Verdemar em Belo Horizonte. ( o mesmo preço do barolo 2008 base – que também é muito bom ). Hoje acho que o vinho saiu da promoção e foi para 200 reias mais ou menos ( que seria o preço normal do Verdemar já com o aumento devido o cambio – mas ao meu ver ainda é um preço fantástico por um vinho excepcional como esse )

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>