Alvarinhos de Monção e Melgaço para ninguém botar defeito

Em minha viagem à região dos Vinhos Verdes, no norte de Portugal, estive na sub-região de Monção e Melgaço, que é onde se faz os vinhos com a uva Alvarinho e que podem vir com o nome “Vinho Verde” escrito no rótulo. É uma espécie de “melhor zona” para se cultivar essa casta. Ou seja, se você encontrar um Alvarinho dessa região, vai ter mais chances de ter um beo vinho em mãos.

E por lá tem uma casa do governo que é dedicada à divulgação da cultura do vinho, que é o Paço do Alvarinho. Uma casa antiga, muito bonita e onde eu participei de uma degustação do que pra mim foram os melhores vinhos provados durante toda a viagem. Os caras reuniram excelentes vinhos, que eu conto aqui.

VINHOS DE MONÇÃO

Casa do Capitão-Mor 2010
Frutas mais passas, cor dourada, complexo. Na boca tem uma boa mineralidade.
Um dos meus favoritos pela sua complexidade.

Deu-la-Deu 2011
O nome é em homenagem a uma mulher que salvou os portugueses na guerra (conto sobre isso depois). Aroma complexo parece que virá um vinho mais pesado. Na boca é muito fresco e até espanta pela diferença. Final seco e com ótima acidez.

Quinta da Baguinha 2011
Maracujá muito presente. Na boca também. Bem saboroso e dá pra harmonizar com uma boa comida pesada.

Quinta de Alderiz 2011
Fresco, boa acidez, mineralidade na boca no final. Um vinho de ótima qualidade.

Quinta da Cheira 2011
Fruta e um toque mínimo de flor que deixou o vinho muito elegante no nariz. Na boca também é muito agradável. Uma surpresa.

Quinta das Pereirinhas 2011
Leve cítrico e mineral, lichia. Na boca é fresco e o final é um pouco rápido, mas bem legal. Um dos meus preferidos.

Encosta de Sende 2011
Frutas brancas e tropicais, na boca é cheio e bem leve e harmônico. Bom final.

Terras de Conclave 2011
Bem cheio na boca,mais redondo, mais corpo.

 

VINHOS DE MELGAÇO

Dona Paterna Reserva 2010
Mineral no nariz e na boca. Final complexo e com persistência.

QM 2011
Mel, fruta ainda escondida, na boca é fresco e diferente do nariz.

Alvaianas 2011
Frutas evoluídas.na boca é muito vivo. Apesar de ser intenso, acho que dá pra beber ele sozinho. Diferente.

Quinta do Regueiro 2011
Leve grama misturado com mineral. Na boca tem excelente acidez. Muito fresco e correto.

Morgadio de Torre 2011
Aromas complexos, frutas maduras. Na boca é cheio, mas o final é um pouco curto. Gostei bastante, só queria que fosse um pouco mais longo.

Nostalgia 2011
No nariz tem aromas complexos e na boca tem um frescor interessante. Final mais longo.

Então ficam essas dicas. Se encontrar algum desses por aí e gostar de vinhos brancos de qualidade (e bom preço), pode ser uma boa.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>