Almoçando com champagne Maxime Blin – combinações perfeitas

Beber champagne (o champagne de verdade, lá da França) é, infelizmente, para poucos. Os preços são altos e não dá para pagar uma fortuna por uma garrafa de vinho com borbulhas, mesmo sendo um apaixonado como sou.

Mas se você puder se dar esse luxo, é algo que vale a pena. Não é à toa que a região é uma das mais famosas no mundo inteiro e seus espumantes são referência de qualidade. Quem já bebeu um bom champagne sabe do que estou falando.

E quem tem um excelente produtor no portfólio é a importadora Vinea. Eles trabalham com os champagnes do Maxime Blin, um cara jovem mas que vem mostrando para o mundo que sabe sim fazer borbulhas com muita qualidade.

Estive lá para bater um papo de novo com o Maxime e almoçar com o pessoal. Para minha felicidade, fiquei sabendo que o Chef Eudes Assis agora é fixo lá da Vinea (ele antes só dava consultoria). O cara é muito bom e tem um bom gosto muito grande na hora da harmonização. Sempre sai coisa boa.

Aqui você vê como foi o almoço e aproveita para ter idéias de harmonização, para quando for fazer na sua casa ou até mesmo ir a um restaurante. Todos os pratos harmonizaram muito bem, até a sobremesa, que eu estava preocupado e achando que não daria certo.

A Entrada foi com um Creme de palmito pupunha com vieiras no vinho e folhado de queijo brie com maçã. Para acompanhar, Champagne Maxime Blin Brut Carte Blanche, que é leve mas ao mesmo tempo teve força para segurar o molho. foto 1
foto 2 O primeiro prato foi um camarão flambado ao molho bisque com risoto de zuchini e chips de inhame, escoltado pelo Champagne Maxime Blin Grande Tradition

 

O segundo prato foi um filé de vitelo com cogumelos salteados e purê trufado de batatas e para acompanhar, para a minha surpresa também, foi o Champagne Maxime Blin Brut Rosé. Uma combinação fantástica, mas que só deu certo porque esse rosé é bem forte. foto 3
foto 4 E finalmente de sobremesa o doce de banana com creme inglês e merengue italiano que estava uma delícia, harmonizado com o Champagne Maxime Blin Brut Carte Blanche, que provou mais uma vez a sua versatilidade.

 

 

 

E aí, gostou? Deu para ter algumas idéias para a sua próxima refeição com Champagne? Lembre-se que não precisa necessariamente ser champagne. Pode ser um bom espumante que vai dar certo. Veja nas notas de degustação (links nos nomes dos champagnes) um pouco mais sobre eles, para poder pensar no seu.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>