Achaval-Ferrer Quimera 2009

Esse vinho eu provei junto com o Achaval-Ferrer Malbec 2010, que eu já comentei aqui. Foi numa degustação bem legal que eu participei lá em Campinas, no Empório Santa Terezinha, que fica no Parque Dom Pedro. O que eu achei legal na degustação foi o clima informal e alegre. Nada de grandes cerimônias, silêncio total na hora de provar o vinho, avaliações técnicas longas com dezenas de descriptores, etc, etc. Nada disso! Só gente alegre, bebendo vinho e escutando o Marcelo Victoria, um dos sócios da Achaval-Ferrer falar. Ele também entrou no clima e só queria contar um pouco sobre cada vinho e as suas falas pareciam mais poesias, declamando seu amor pelas suas parreiras centenárias (e quem não as amaria?).

O Quimera é pra mim o melhor vinho no quesito custo X benefício da Achaval-Ferrer. Feito com Malbec, Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Petit Verdot, o vinho é uma obra prima de elegância. Muito aromático, mas sem enjoar. Tem fruta, tem flor, tem madeira, tem chocolate, mas tudo bem de leve, fazendo um conjunto muito legal.

Na boca  é daqueles que sabemos que é forte e potente, mas ele “desce macio”, sempre chamando para um novo gole. Com uma boa carne, isso fica uma maravilha.

Esse custa em torno de 140 reais, que como eu disse, é um ótimo preço, considerando a sua qualidade. Se você tiver esse dinheiro e quiser investir num bom vinho, essa é sem dúvida uma escolha bem acertada. Prove e depois me diga. Os vinhos da Achaval-Ferrer são importados pela Inovini no Brasil.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

8 Comentários

  1. 1

    Muito bom Daniel! O Quimera é realmente um vinho diferente, vale muito a pena.

    Mas diga sua impressão sobre a longevidade? Tenho um 2008 por aqui, e fico pensando em quando abrir. Já me indicaram abrir com 5 a 7 anos, como auge do vinho.

    Qual sua impressão do 2009 com 3 anos de idade? Acredita que ele vai continuar a evoluir positivamente? Mais 2 ou 4 anos de garrafa é uma estimativa correta?

    Abraço!

  2. 2

    Mateus

    Acho que você pode guardar até mais. É um vinho que com certeza fica evoluindo por mais tempo (diria que uns 10 anos), mas aí depende do seu gosto. Você gosta de vinho mais evoluído ou prefere os mais “porrada”?
    Se preferir mais forte, a hora de abrir é agora. Se gosta dele com menos acidez, mais tranquilão, mas com mais aromas diferentes, pode aguardar. Fique tranquilo que o seu ainda está jovem! :)
    Abs

    Daniel

  3. 3

    Daniel,
    É isso mesmo. Em 2010 eu abri uma garrafa do Quimera 2008 e foi praticamente um infanticídio. A outra garrafa que tenho pretendo abri-la apenas em 2014/2015.
    Abraços,
    Márcio

  4. 4
  5. 5

    Bom saber! Na verdade o que eu mais gosto do vinho é o nariz, quanto mais complexidade, mais aromas diferentes, melhor!

    Então vou deixar o meu hibernando uns anos. Tentarei resistir bravamente e não ceder à tentação.

    Abraço!

  6. 6

    Sim, é um vinho excelente ( assim como todos achaval que já tomei ). Entretanto acho que ele precisava amadurecer mais um tempo para que algumas arestas pudessem ser arredondas e aí desfrutar de todo seu potencial.
    Os vinhos da Achaval são muito difíceis de se achar de safras antigas, então também por isso acabam sendo consumidos mais jovens. Quem tiver a oportunidade de deixá-los evoluir na adega não se arrependerá.
    Abraços,
    Márcio

  7. 7

    Mateus
    Te entendo perfeitamente, porque eu também não resisto. Quando posso, compro duas garrafas. Aí bebo uma logo e mato a vontade e depois eu deixo a outra descansar em paz! :)
    Abs
    Daniel

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>