A Península de Setúbal não tem só Moscatel. Conheça!

setubal_header

Você já provou algum Moscatel de Setúbal? Em geral são vinhos fortificados e se bem produzidos, são de tirar o chapéu. Mas a península de Setúbal, um território pequeno que fica ao Sul de Lisboa tem vinhos de todos os tipos, e bem interessantes.

Por ficar próximo ao Alentejo, os vinhos tem um perfil parecido com a região mais conhecida para os brasileiros. Em Setúbal a Castelão é a uva tinta mais importante e a branca é a Moscatel, obviamente.

E falando em Moscatel, tem uma variedade muito interessante que é a “Moscatel Roxo”, que é uma casta tinta e que tem só 35 hectares plantados em toda a região. Os moscatéis normais podem ser consumidos até 5 anos depois de produzido, mas os “clássicos” podem durar muitos anos.

Atenção a um detalhe importante e interessante da produção deles por lá: se você encontrar um Moscatel de Setúbal indicando 10 anos, 20 anos, etc isso quer dizer que refere-se à safra mais jovem, mas tem sempre safras mais antigas misturadas. Daria até para colocar algo como “Moscatel de Setúbal Mínimo 10 anos”. :)

Provei recentemente alguns vinhos de lá e encontrei um perfil bem interessante, fugindo do tradicional encorpado e cheio de madeira. Veja abaixo alguns deles e recomendo que considere a prova numa próxima oportunidade que encontrar algum.

Dom Campos Fernão Pires 2013
Vinho super fresco, que tem aromas levemente adocicados de frutas como pêra. Na boca começa bem doce e depois fica mais equilibrado. Vinho para o verão.

Fontanário de Pegões 2013
Vinho também bem fresco, mas com um leve toque mais herbáceo e calcário. Na boca me pareceu mais fácil de beber em mais quantidade (por favor cuidado com isso, hein? Não vai encher a cara de vinho por aí).

Vale Pereira 2012
Vinícola familiar. Parece bem quente no nariz. Feito com as uvas Castelão e Aragonez. Tem frutas vermelhas bem maduras. Bem aromático. Se servido mais resfriado vai ficar mais equilibrado.

Adega dos Pegões Syrah 2011
Bastante madeira. Não é um vinho fácil de se beber sozinho. Precisa de uma boa comida, de preferência que seja potente e com um pouco de gordura.

Venâncio da Costa Lima Moscatel de Setúbal 2010
Aromas de doce de laranja em compota que lembra o que minha avô fazia

Casa Ermelinda Freitas Moscatel de Setúbal
Bem diferente do anterior, mais alcoólico e licoroso.

Adega de Pegões Moscatel de Setúbal Roxo
Excelente equilíbrio entre os aromas e sabores. Doce, mas sem enjoar. Forte, potente e bem gastronômico.

 

E se quiser saber mais sobre o lugar, acesse o site da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal.

Um abraço

Daniel Perches

You Might Also Like

Um comentário

  1. 1

    Conheci a cidade em 2000,fiquei lah um mês. Depois de quase dois anos na Europa desde 1999. Bons vinhos sim.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>